quinta-feira, junho 23, 2016

Pires Ferreira - QUEM SERÁ O VICE DE MARFISA AGUIAR?

Em toda cidade pequena interiorana, se especula política 24 horas. Não diferente das estatísticas, a cidade vizinha de Pires Ferreira, também se comenta possíveis conjecturas para 2016.
De olho em 2016, alguns pretensos candidatos ao cargo de vice-prefeito na chapa majoritária da prefeita Marfisa Aguiar (PDT) começam a buscar um lugar ao sol.
Nomes como do empresário Jurandir Carneiro Rodrigues o Júnior dono das Auto Escolas, um dos empresário que mais emprega no município, filiado ao PSC. Da vereadora Jamile Carneiro Mesquita Mororó, filiada ao PMB, ligada ao atual vice-prefeito e da vereadora Francisca Fabiana Rodrigues de Sousa (PSC), esposa do ex-vereador e ex-candidato a vice na chapa majoritária adversária do pleito passado, Eriberto de Sousa, começam a surgir numa possível inclusão na chapa em 2016.
Segundo informação o nome só será confirmado e revelado após à convenção. Agora resta saber, “Qual o nome do possível pré-candidato a vice-prefeito de Marfisa Aguiar?”, essa é a pergunta que não quer calar.
Fonte: Ipunoticias.com

OPOSIÇÃO DE IPU ADIA PARA TERÇA (28) ANÚNCIO DA CANDIDATURA DE DIEGO CARLOS

É aguardada a presença de Cid Gomes em Ipu
A oposição de Ipu liderada pela Família Carlos, Vereadores e o ex-prefeito Sávio Pontes, adiou de sábado para terça o encontro político que irá acontecer na residência do ex-Prefeito Zezé Carlos no Bairro da Mina. Na ocasião deverá ser anunciada a candidatura de Diego Calos pelo PDT. 
A razão do adiamento foi em virtude da possibilidade de contar com Cid Gomes na Terça. O ex-governador trabalha intensamente para o seu partido PDT consiga eleger em torno de cem prefeitos dentre os 184 municípios cearenses. 

VICE DE DIEGO
Nas últimas horas tem ganho muita força a ideia do Vice de Diego Carlos ser o Vereador Adriano Melo do PV. Mas a palavra final, ficará a cargo do filho da ex-prefeita Toinha o qual caberá o direito de fazer o convite para o seu compnaheiro de chapa. 

O Vice Plano B - SERGIO RUFINO DEIXA CORONEL FANICO EM SEGUNDO PLANO

Matéria de Rárisson Ramon
Estaria Sergio Rufino querendo rebaixar o Coronel à Cabo?

O evento realizado na última quarta-feira (22) pelo Prefeito Sérgio Rufino, em sua residência, está sendo alvo de diversos questionamentos por parte da mídia oposicionista e analistas políticos. Dentre os inúmeros fatos destacados como polêmicos houve um que nos chamou atenção: Sérgio Rufino oficializou a sua pre-candidatura na eleição majoritária de 2016 em Ipu, contudo esperava-se também que a sua chapa fosse definida em tal noite anunciando quem seria o seu vice.
Em nosso pensar seria a grande noite que consagraria o experiente político Cel. Martins, presidente do diretório municipal do PT em Ipu, como o vice de Sérgio Rufino. E de fato Cel. Martins compareceu ao evento, todavia o grande nome da noite foi de uma outra pessoa ilustre: Dr. Luiz de Gonzaga (PMDB). Este foi recebido com todas as glórias possíveis. Os mais animados ecoaram no sentido de ser o Dr. Luiz de Gonzaga o Vice ideal da liberdade e esse está sendo o pensamento que perdura no momento.

Bem, com a chegada do médico Dr. Luiz, o ilustre membro da Família Martins foi relegado a segundo plano. Nos registros fotográficos mostram que Cel. Martins ficou em um lugar da mesa de honra sem muito destaque e até difícil de ser captado pelas lentes da imprensa que fez cobertura do evento.

Outro fato foi a ampla importância que a mídia de situação fez em torno da presença de Dr. Luiz de Gonzaga, aliás,  a este foi dado um lugar central na mesa de honra. As palavras de Luiz foram publicizadas nos blogs de situação.

Por que Sérgio Rufino adiou o anúncio de seu pretenso vice? Teria tudo para partir na frente com uma chapa já definida, porém exitou. Cel. Martins estava lá, por que Rufino não bateu o martelo e aclamou o nome de Francisco Martins como o seu vice?
O evento seria um indicativo que o Prefeito quer descartar o ilustre Cel. Martins da sua composição majoritária? Será se Sérgio esqueceu que os Martins foram decisivos à sua vitória no pleito de 2012? Estaria o Prefeito somente interessado no tempo de rádio que o PT de Fanico poderia proporcionar à coligação, porém sem dar-lhe a Vice? E o Cel. Martins aceitaria somente coligar sem nada ganhar em termos de reconhecimento pela forte fidelidade ao longo desses anos a Sérgio Rufino?

Se o dinamismo político ocorrer de forma contrária a política de Cel. Martins, este deixará de ser um "Coronel" e passará a ser um mero "Cabo" eleitoral no grupo dos Rufinos.
Fonte: EXpressoipu.Blogspot.com

VASCO NEGOCIA COM LEANDRO DAMIÃO. ENQUANTO ISSO, SEGUE COM LEANDRÃO COMO CENTROAVANTE

Depois de muito pesquisar o mercado, fazer sondagens, recusar ofertas de empresários e calcular sua capacidade financeira, o Vasco definiu em quem vai colocar suas forças para contratação do tão esperado camisa 9. As conversas para contar com o jogador do Santos, que ainda está vinculado ao Bétis, da Espanha, já tiveram início, e o clube carioca apresentou suas possibilidades financeiras para um acerto, colocando-se à disposição para que o atleta de 26 anos reencontre seu melhor futebol. As partes tratam a possibilidade com sigilo, e a expectativa é de que o atacante anuncie seu futuro no início do próximo mês.   
Na Vila Belmiro, o atacante tem remuneração que supera os R$ 600 mil, valor totalmente fora da realidade de São Januário. Leandro Damião, por sua vez, já se conscientizou que não conseguirá manter o padrão no mercado nacional e aceita uma redução considerável da cifra. No Vasco, há a preocupação de que a oferta não seja superior ao que é pago para estrelas do elenco, como Nenê e Martín Silva. Os representantes do jogador estão cientes deste panorama e de que o Cruz-Maltino não entrará em leilão com possíveis concorrentes da Série A. O alívio recente no caixa, porém, permite chegar a casa dos R$ 300 mil.    

LEANDRÃO 
Leandrão é o camisa 9 de Jorginho. Thalles corre por fora, também buscando seu espaço. No mercado, quem busca opções para a posição é a diretoria do Vasco, o que já foi deixado claro pelo próprio treinador. Alvo definido pelo Cruz-Maltino, Leandro Damião é o nome do momento. A situação não preocupa Leandrão, que afirma que a responsabilidade dentro de campo aumenta, mas mantém a tranquilidade.
Leandrão, de 32 anos, é xará de Damião, de 26. E disse, ao fim da entrevista coletiva, que já jogou com o colega de profissão no Internacional. Leandrão estava no Inter em 2008. Foi emprestado ao Vitória em 2009. Damião venceu um Gaúcho Sub-20 em 2009 pelo Colorado.
Fonte:GE

SELEÇÃO OLÍMPICA TERÁ CONVOCAÇÃO DEFINITIVA NA PRÓXIMA QUARTA (29).

Titular da Seleção principal nas Eliminatórias e na Copa América, Renato Augusto está na lista de 35 jogadores pré-convocados para os Jogos Olímpicos do Rio. O meio-campista, que defende o Beijing Guoan, da China, é um dos jogadores acima de 23 anos escolhidos pelo técnico Rogério Micale, junto com Thiago Silva, Fernando Prass, Douglas Costa,  Casemiro e Neymar.
Um dos preferidos de Dunga para ir à Olimpíada, o meia Willian, do Chelsea, não está na relação enviada à Fifa. A lista final, com 18 jogadores e apenas três com mais de 23 anos, será divulgada na próxima quarta por Micale na sede da CBF, no Rio de Janeiro, às 11h (de Brasília), com transmissão ao vivo do GloboEsporte.com.

Aos 28 anos, Renato Augusto foi campeão brasileiro pelo Corinthians em 2015 e apontado como um dos destaques da competição. Em seguida, o meia foi vendido para o clube chinês no início de 2016 e já soma dez jogos pela Seleção principal, com quatro gols marcados, sendo dois deles pelas Eliminatórias para a Copa do Mundo, contra Peru e Uruguai.
Um dos três mais velhos garantido nos Jogos é Neymar. A presença do craque na Olimpíada faz parte do acordo da CBF com o Barcelona que deixou o camisa 10 da Seleção fora da Copa América. Micale e a diretoria da entidade ainda negocia com os outros clubes a liberação dos atletas para o torneio no Rio.
A pré-lista dos 35 não foi divulgada pela CBF. Alguns clubes já revelaram quais jogadores foram pedidos pela entidade, como o meia Scarpa (Fluminense), o lateral-esquerdo Jorge (Flamengo), o goleiro Jordi e o zagueiro Luan (Vasco). O GloboEsporte.com apurou e confirmou com fontes envolvidas outros nomes, como o goleiro Ederson (Benfica), o lateral-direito Fabinho (Monaco), o zagueiro Marquinhos (PSG), o lateral-esquerdo Douglas Santos (Atlético-MG), o zagueiro Rodrigo Caio (São Paulo), os atacantes Gabriel (Santos) e Gabriel Jesus (Palmeiras) e os meias Rafinha (Barcelona) e Felipe Anderson (Lazio).
Fonte: O Globo.com

EX-MINISTRO DE LULA E DILMA É PRESO PELA LAVA-JATO E PF CUMPRE MANDATO DE SENADORA DO PT

A Polícia Federal prendeu, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (23), em Brasília, o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo. Trata-se de um desdobramento da 18ª fase da Operação Lava Jato.
A operação "Custo Brasil" (31ª fase) cumpre mandados em Curitiba, Londrina, na sede do PT em São Paulo, além de Rio Grande do Sul, Pernambuco e Distrito Federal. A PF apura o pagamento de propina, por meio de contratos de prestação de serviços de informática, no valor de R$ 100 milhões, entre 2010 e 2015, a pessoas ligadas a funcionários públicos e agentes públicos ligados ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG). Os valores em questão estão na ordem de R$ 100 milhões.
Estão sendo cumpridos 11 mandados de prisão preventiva, 40 mandados de busca e apreensão e 14 mandados de condução coercitiva. Policiais federais e agentes da Receita Federal estiveram por duas horasa na cobertura do casal no bairro Água Verde, em Curitiba, nesta manhã.
Além de Paulo Bernardo, a Polícia Federal levou sob o regime de condução coercitiva o jornalista Leonardo Attuch (do site Brasil 247), que teria se beneficiado, segundo as investigações, do esquema de desvio de dinheiro. Carlos Gabas, ex-ministro da Previdência do governo Dilma, também foi levado pelo mesmo regime.

Gleisi
A PF cumpre ainda um mandado na casa da senadora Gleisi Hoffman, em Curitiba. Gleisi foi indiciada, junto com Bernardo, após suspeitas de que valores desviados da Petrobrás foram utilizados em 2010 na campanha dela ao Senado. As informações surgiram de uma delação de um vereador investigado pela operação "Pixuleco".
A defesa de Paulo Bernado disse que desconhece as razões da prisão. A assessoria do casal nega irregularidades.
Fonte: Paranáonline

Melhoria para a Segurança Pública: PROPOSTA DO DEPUTADO MOSES RODRIGUES VISA TRANSFORMAR GUARDA MUNICIPAL EM POLÍCIA MUNICIPAL

O deputado federal Moses Rodrigues apresentou uma Proposta de Emenda a Constituição (PEC) com o intuito de transformar a Guarda Civil Municipal em Polícia Municipal. Segundo Moses, essa é uma medida que pode melhorar a segurança pública no país.  
“Precisamos fazer com que os prefeitos compreendam a atuação das guardas municipais, para que a gente possa ter uma segurança pública fortalecida através da municipalização. Vou citar o exemplo do Ceará, que possui 184 municípios. É inadmissível que o governador seja responsável pela segurança pública do Estado sem a participação dos municípios”, ressalta o deputado.

Valorização da Guarda Municipal
Não é de agora o engajamento do deputado federal Moses Rodrigues nas causas da Guarda Municipal de Sobral. Os problemas relacionados à Guarda já foram levados ao plenário da Câmara dos Deputados. Em discurso, o parlamentar cearense, que já pertenceu à categoria, frisou a importância da instituição e pontuou o descaso em que a Guarda Municipal de Sobral se encontra. Moses destacou a falta de investimentos em equipamentos, fardamentos e viaturas, e enfatizou, como ponto principal, a valorização dos profissionais.

PREFEITO SERGIO RUFINO ACABA COM BOATOS SOBRE NÃO CANDIDATURA E OFICIALIZA TENTATIVA DE REELEIÇÃO

Aconteceu na noite de ontem, quarta (22), na residência do Prefeito de Ipu, Sergio Rufino (PCdoB), uma movimentação política partidária com a presença de vereadores, lideranças locais e correligionários do Grupo Liberdade.
Dissipando as especulações de que não seria candidato, o gestor de Ipu fez um discurso forte ao confirmar que os Irmãos Rufino querem continuar no poder, e disse  também que a partida política estava iniciando.

Dr. Luiz de Gonzaga
Se por um lado, não houve o anúncio de adesões políticas aos Irmãos Rufino como assim muitos especulavam na imprensa situacionista, por outro, o evento contou com a presença do médico Dr.Luiz de Gonzaga (PMDB). 
Em suas palavras, Gonzaga fez elogios ao Prefeito de Ipu na sua condução das finanças do município, mas não sinalizou se iria compôr a sua chapa como Vice.
Pressão Sobre os Servidores
Nas redes sociais não faltaram polêmicas na tarde-noite de ontem. Funcionários municiais afirmavam que estavam sendo pressionados para comparecerem ao evento.
_________________________________________________
LEIA MATÉRIA RELACIONADA

terça-feira, junho 21, 2016

CINCO PARTIDOS CONTROLAM 84% DAS PREFEITURAS DO CE E BUSCAM MANTER HEGEMONIA

Quase quatro anos depois da eleição municipal de outubro de 2012, e do prazo da janela partidária - que autoriza políticos a mudarem de partido sem pôr em risco o mandato -, cinco legendas se consolidam como as maiores forças no Ceará. PDT, PT, PSD, PMDB e PSDB juntos governam 154 municípios, dos 184 totais. Ou seja, quase 84% das cidades cearenses. Nas eleições de outubro, lutarão para manter os atuais espaços e conquistar novos. 
O maior grupo, com 69 administrações (Incluindo a Capital), é do PDT dos irmãos Ferreira Gomes, que ganhou musculatura depois de vários nomes ligados ao governador Camilo Santana (PT) se desfiliarem do Pros, em setembro de 2015, para aderirem ao trabalhismo. Com estratégia de reeleger Roberto Cláudio, além de divergências com a instância nacional do partido, seguidores do ex-governador Cid encontraram abrigo em uma, agora, robusta sigla, que promete se fortalecer mais no pleito de outubro angariando novas prefeituras ou engordando a aliança.

Com o maior número de deputados na Assembleia Legislativa (12 no total), e, consequentemente, mais representatividade no interior do Estado, o PDT tem Juazeiro do Norte, Sobral e Fortaleza como uma das principais prioridades. Os municípios são polos essenciais para a eleição de 2018 (pleito já discutido nos bastidores da base e oposição) onde as disputas serão acirradas e com resultados imprevisíveis. O discurso, no entanto, é de cautela para evitar problemas com aliados. “O PDT não precisa crescer sozinho. Vamos trabalhar também para que os nossos aliados elejam os seus prefeitos”, disse Zezinho Albuquerque (PDT), presidente da AL-CE.
Maior força de oposição ao governo estadual, o PMDB, do senador Eunício Oliveira, quer avançar em municípios governados pelo PDT. Fortaleza, Sobral e Lavras da Mangabeira são localidades que fazem parte de constantes reuniões do partido para encontrar uma estratégia de vitória. Juazeiro do Norte, atualmente governado pelo partido, além da maioria dos municípios da Região Metropolitana com aliados do PMDB, também são peças-chave para evitar a perda de território para o “inimigo”. Pelo menos 80 peemedebistas sairão candidatos ao executivo no Ceará. Na Capital, o rumo da legenda ainda segue indefinido.

A estratégia do PT
Enfraquecido na RMF, o PT governa 29 cidades. A candidatura do maior número possível de petistas é estratégia para evitar um maior desgaste da imagem da sigla, após o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Ao contrário da Capital, que terá a candidatura da deputada Luizianne Lins, o partido deve se firmar ao lado do PDT no interior do Estado. De acordo com petistas, a expectativa é aumentar o número de prefeituras. Retomar o controle da Capital é uma prioridade para a executiva nacional, além de prefeituras estratégias no Interior.

O PSD, com 28 administrações, busca seu espaço também visando 2018. O presidente estadual, deputado Domingos Neto, afirmou que a sigla terá candidato próprio em todas as regiões do Estado. Aliado do governador, o parlamentar também firmou aliança com o PDT em cidades polos, como Sobral. O PSDB, apesar de ter apenas 6 prefeituras, espera crescer após aproximação com o PMDB e o PR. Luiz Pontes, presidente estadual, acredita em pelo menos 50 candidaturas.
Fonte: O Povo

segunda-feira, junho 20, 2016

UMA SEMANA DECISIVA NA POLÍTICA IPUENSE COM SEUS EVENTOS E ARTICULAÇÕES DE BASTIDORES

Pelo grupo situacionista o Prefeito Sergio Rufino (PCdoB), sabe que precisa criar um fato novo para mostrar que parte forte para 2016. O grupo Liberdade trabalha para ofuscar o anúncio do candidato de oposição que está marcado para o próximo sábado (25).

Os irmãos Rufinos trabalham em três frentes nessas próximas semanas: anunciar um Vice de peso que enfraqueça seus adversários, cooptar um dos Vereadores que hoje estão no grupo de oposição, e até ter um novo "entendimento" com os Martins de Nonato para voltarem a ter acesso aos microfones da FM Cidade. 
Outra ação do Prefeito é aumentar a militância, sobretudo em áreas interioranas, onde ele e seus irmãos acreditam que podem compensar a rejeição do eleitorado urbano. 
Sergio Rufino sabe que o velho discurso do grupo Liberdade de que paga o funcionalismo em dia, a ideia de que estará reativando obras de pequeno e médio porte que estavam paralisadas, o anúncio de que está conseguindo mais verbas para obras e as justificativas que ainda está tirando o Ipu da inadimplência, surtem pouco efeito em cima do eleitorado indeciso. 

Uma grande massa de eleitores, sempre inquietos nas eleições e dispostos a não votarem em reeleição dos Prefeitos de Ipu, entram no segundo semestre desse ano eleitoral com desconfiança na continuidade de um projeto que soa Familiar e de pouco perspectiva política na cidade que vive vitimada por uma epidemia de Zika-Dengue, ruas as escuras, tomada pela violência e com várias obras até a poucos dias paralisadas.

Oposição
Será neste sábado, 25, na residência da ex-prefeita Toinha que deverá acontecer um concorrido evento para o anúncio do cabeça-de-chapa da oposição. Diego Carlos, provável nome a ser confirmado, esteve no Ipu neste final de semana e chegou até a visitar a "Calçada da Fama" onde ficam seus correligionários mais entusiasmados. O grupo Liberdade torce para que o evento não traga nada de concreto e que até então equidistância que Diego teve sobre o pleito local continue e faça o evento ser apagado. 
Sabe-se que os eleitores mais empolgados, já disputam nas redes sociais quem será o Vice de Diego. Adriano Melo e Efigênia Mororó são os nomes mais citados, embora estrategistas políticos acreditem que o Vice deverá vir de dentro da Família Martins.

domingo, junho 19, 2016

Vestibular: IMPEACHMENT E LIBERDADE DE EXPRESSÃO NA INTERNET FORAM COBRADOS EM HISTÓRIA E REDAÇÃO

Clique na imagem e confira o comentário das questões feita pelos professores do FB

Com 5.684 inscritos ocorreu neste domingo, 19, o Vestibular 2016.2 da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA) em Sobral. O certame teve provas de Conhecimentos Gerais aplicadas pela manhã e pela tarde os alunos se submeteram a uma Redação e a Prova de Conhecimentos Específicos. O resultado do Vestibular será divulgado no dia 22 de Julho pela Comissão Executiva que tem à frente o Professor José Ferreira Portela Neto. 

Impeachment cobrado
Tema já esperado pelos vestibulandos, o processo de Impeachment da Presidente Dilma Rousseff foi cobrado em uma das questões de História da prova de Conhecimentos Gerais. Confira a questão abaixo:

Confira a Resposta no Comentário
Redação
A Redação aplicada pela tarde para todos os vestibulandos, independente do curso inscrito, trouxe como tema a liberdade de expressão nas redes sociais a partir de uma crítica feita pelo escritor italiano Humberto Eco publicada na Revista Veja. Confira:


sábado, junho 18, 2016

A CRISE VOLTA AO PLANALTO - DEPOIS DE DESMASCARAR O PT A LAVA JATO CERCA A CÚPULA DO PMDB

O país começou a conviver com dois Michel Temer desde a semana passada. O primeiro está promovendo uma agenda positiva na economia, formou uma equipe de excelência comprovada e acaba de apresentar uma proposta de emenda cons­titucional para definir um teto para o crescimento do gasto público. O segundo está agora às voltas com uma acusação dura.
O delator Sérgio Machado, em depoimento aos investigadores da Lava-Jato, disse que o presidente interino lhe pediu 1,5 milhão de reais durante um encontro na Base Aérea de Brasília, em setembro de 2012, para a campanha de Gabriel Chalita, então no PMDB, à prefeitura de São Paulo. O dinheiro foi repassado pela Queiroz Galvão na forma de doação eleitoral, numa tentativa de dar à transação ares de legalidade. Às autoridades, Machado confessou que a verba não tinha origem lícita. Era propina. E Temer, que encomendara a mercadoria, tinha plena consciência disso. A acusação é forte, mas, do ponto de vista jurídico, tende a morrer na praia, já que Temer não pode ser investigado por atos estranhos ao mandato.

O presidente interino estava certo de que teria uma semana positiva. Com pompa e circunstância, apresentaria aos parlamentares, como de fato fez, a proposta do teto. Embalado pela repercussão da iniciativa, faria um pronunciamento em rede de rádio e televisão para exaltar seu governo, sua capacidade de dialogar com o Congresso e sua injeção de ânimo nos agentes econômicos. Um otimismo compartilhado por muitos. Sentindo-se fortalecido, o presidente do Senado, Renan Calheiros, anunciou que analisaria um pedido de impeachment contra o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que defendera as prisões preventivas dele, do ex-presidente José Sarney e do senador Romero Jucá, rechaçadas pelo ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. O céu parecia clarear para o bom e velho PMDB, finalmente no exercício pleno do poder. Implacável, a Operação Lava-­Jato devolveu os peemedebistas à realidade dos desvios da Petrobras, a estatal que, na definição já nascida imortal de Sérgio Machado, é a "madame mais honesta dos cabarés do Brasil".
Ex-tucano convertido em peemedebista, Sérgio Machado comandou a Transpetro, subsidiária da Petrobras, entre 2003 e 2014. Em sua delação, fez acusações a Temer, Renan, que o indicou ao cargo, e mais oito expoentes do partido de se beneficiarem do dinheiro desviado dos cofres da Petrobras.
A divulgação do depoimento pegou Temer de surpresa. Primeiro, o presidente interino soltou uma nota para dizer que sempre respeitou os limites legais ao buscar recursos para campanhas eleitorais. Soou protocolar. Como não conseguiu se afastar das cordas, fez uma declaração à imprensa, em que tachou de "levianas", "mentirosas" e "criminosas" as afirmações do colega de partido. Não disse que vai processá-lo. "Alguém que teria cometido aquele delito irresponsável que o cidadão Machado apontou não teria condições de presidir o país", afirmou, acrescentando que contestará cada menção a seu nome em defesa de sua honra e "da harmonia do país". Machado não se intimidou. Em tréplica, reafirmou tudo o que declarara às autoridades. Diante da agenda negativa, Temer cancelou o pronunciamento em rádio e TV que faria na sexta-feira com receio de um panelaço.
A delação de Machado chama atenção pela riqueza de detalhes, como o uso de senhas para impedir que a empreiteira, no papel de corruptor, soubesse a identidade do destinatário final da propina, o corrompido. Ele contou que repassou pelo menos 115 milhões de reais a
23 políticos de oito partidos. O PMDB ficou com 100 milhões de reais, sendo as maiores partes destinadas a Renan (32 milhões), Edison Lobão (24 milhões), Romero Jucá (21 milhões) e José Sarney (18,5 milhões). A maioria dos valores era paga em dinheiro vivo. Na delação, Machado diz que teve atritos com Renan, que chegou a receber mesada de 300 000 reais, porque não conseguia saciar o apetite do padrinho político, que pedia mais do que o afilhado podia entregar. Afirma ainda que Lobão, então ministro de Minas e Energia, exigia uma bolada maior do que a de seus colegas de bancada. A disputa pelo dinheiro sujo era renhida. Foi ela, segundo o delator, que levou Temer a reassumir a presidência do PMDB em 2014, para arbitrar o rateio de 40 milhões de reais repassados ao partido, a pedido do PT, pela JBS. Temer e os deputados estariam se sentindo ludibriados pelos senadores, que na época comandavam a presidência e a tesouraria da legenda. Por muito pouco, a arenga não ultrapassou as fronteiras partidárias.

Criminosos ou não, os depoimentos de Machado provocaram uma nova baixa no governo. Apontado como beneficiário de 1,5 milhão de reais em propina levantada na Transpetro, Henrique Eduardo Alves pediu demissão do Ministério do Turismo. Com a decisão, disse que fazia um gesto de grandeza, para não constranger a Presidência interina de seu amigo. Balela. Henrique Alves já era investigado pela Procuradoria-Geral da República sob a suspeita de embolsar propina paga pela OAS. Também foi citado na delação premiada de Fábio Cleto, ex-vice-presidente da Caixa Econômica Federal, que coletava propinas para o PMDB da Câmara, do qual Henrique Alves era expoente. Para completar, tramita na Justiça um processo de improbidade administrativa contra o ex-ministro no qual são citadas suas contas na Suíça. Os extratos foram entregues por sua ex-mulher. Temer cobrou explicações sobre essas contas no exterior supostamente abastecidas por meio de transações nebulosas. Recebeu, no dia seguinte, um pedido de demissão de Alves, que admitiu estar à espera de chumbo grosso.
Foi o terceiro ministro de Temer a cair em decorrência da Lava-Jato. Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência) foram exonerados depois de ser gravados pelo operante Sérgio Machado maquinando para "estancar a sangria" das investigações. O horizonte também é sombrio fora da Esplanada dos Ministérios. Hoje, a principal preocupação de Temer está na Câmara dos Deputados. O presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha, peça-chave no afastamento de Dilma Rousseff, sente-se credor do interino e cobra dele ajuda para se safar de um processo por quebra de decoro parlamentar. Na semana passada, o Conselho de Ética, depois de uma infindável sucessão de manobras protelatórias, finalmente aprovou parecer favorável à cassação de Cunha. Isso foi o suficiente para recrudescerem os boatos de que ele, caso perca o mandato, negociará um acordo de delação premiada por meio do qual entregará o mandarinato de Temer de bandeja ao Ministério Público. O Planalto sabe que Cunha levantou recursos para financiar a campanha eleitoral de Geddel Vieira Lima, ministro da Secretaria de Governo, em 2014. Sabe também que ele intermediou o repasse de dinheiro para outras eminências peemedebistas. Numa delação, citaria de cabo a rabo sua clientela. Com isso, está posta a ameaça.

Os assessores de Temer dizem ter a informação de que Cunha será preso nos próximos dias, o que, se confirmado, pode acelerar eventual colaboração com as autoridades. Há um pedido de prisão preventiva contra ele sobre a mesa do ministro Teori Zavascki. As informações prestadas às autoridades por Fábio Cleto, afilhado político de Cunha na Caixa Econômica, também alimentam a expectativa de prisão do deputado. A VEJA, Cunha disse que não fechará delação premiada porque não tem o que delatar. Marcelo Odebrecht dizia a mesma coisa. Mudou de ideia depois de quase um ano preso. Deflagrada em março de 2014, a Lava-Jato teve peso decisivo na perda de apoio popular e no afastamento da presidente Dilma. Agora, ameaça o PMDB e, com a acusação a Temer, instala-se novamente no Palácio do Planalto.

No governo anterior, Lula, Dilma, um senador e dois ministros foram pilhados tentando sabotar as investigações da Lava-Jato.
A ascensão de Temer ao poder não diminuiu o ímpeto da operação. Todas as incursões contra as investigações até hoje foram malsucedidas. Diante do fracasso, políticos passaram a tentar reduzir o poder dos investigadores e constrangê-los. Alvo de oito inquéritos no petrolão, Renan quer aprovar um projeto para proibir presos de aderir à delação premiada. Suspeito de receber favores de empreiteiras e assustado com o garrote da prisão, Lula entrou com uma representação contra o juiz Sergio Moro na Procuradoria-Geral da República. Os criminosos ainda sonham com um golpe de última hora no Supremo Tribunal Federal. E olhe que nem vieram a público as delações dos empreiteiros Marcelo Odebrecht e Léo Pinheiro e do ex-tesoureiro petista João Vaccari Neto. A faxina ganhou tração e, ao que parece, não para mais.
FONTE: Veja

quinta-feira, junho 16, 2016

PDT PRETENTE ELEGER 100 PREFEITOS NO CEARÁ

Diego Carlos deve ser o nome do PDT nas eleições de Ipu
Para ganhar o jogo é preciso conhecer as regras. Esse é o objetivo do seminário organizado pelo diretório estadual do PDT, hoje, a partir das 14h30. A ideia é orientar os pré-candidatos em relação à convenção, registro de candidaturas, propaganda eleitoral, utilização das mídias sociais, prestação de contas de campanha, captação legal de recursos, enfim, uma série de normas que que o Tribunal Superior Eleitoral já divulgou para as eleições deste ano – fruto da reforma política aprovada no ano passado. Além disso, a sigla pretende afinar o discurso para ampliar sua base eleitoral, incluindo se manter à frente da Prefeitura de Fortaleza.
O evento contará com a presença do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, do presidente estadual, deputado federal André Figueiredo, e do ex-governador do Ceará, Cid Gomes, além de outras lideranças do partido.
Além de informações fundamentais sobre a nova legislação eleitoral, a legenda disponibilizará uso de ferramentas de comunicação na campanha e colocará à disposição um estúdio fotográfico para realização de fotos oficiais. Todos os partidos, a seu modo, agilizam a capacitação para que os filiados pré-candidatos façam o uso adequado das novas regras.
O deputado Sérgio Aguiar (PDT) ressaltou que o partido tem procurado ajudar cada um de seus pré-candidatos e, para isso, organizou o seminário para que se adeque ao uso das ferramentas previstas pela lei. Ele, porém, afirmou que novos eventos irão ser elaborados a partir da demanda de hoje. “É um suporte a mais aos candidatos. Com as mudanças que estão vigentes é importante que os candidatos possam ficar atentos as orientações principais, ao planejamento de campanha. Esse é o intuito”, disse, minimizando que a questão da crise, uma vez que, nos bastidores, a grande expectativa é que as candidaturas terão dificuldades de arrecadar dinheiro.

Além de ter acesso às resoluções da Justiça Eleitoral que dispõe sobre a eleição, o PDT afinará o discurso para ampliar suas bases. Segundo Sérgio Aguiar, quer eleger 100 prefeituras, incluindo o município de Fortaleza. “O objetivo é elegermos uma centena de prefeitos. O principal deles é Fortaleza, já que é a maior cidade que o PDT comanda no país. Será a demonstração do estilo de gestão do PDT”, disse ele.
Atualmente, a legenda possui 72 prefeitos, três centenas de vereadores, deputados federais, a vice-governadora Izolda Cela, o prefeito Roberto Cláudio e o presidente da Assembleia, Zezinho Albuquerque. A sigla fica, também, com o maior número de deputados estaduais. Em Fortaleza, o partido tem agora 18 vereadores, incluindo a Presidência da Câmara Municipal, Salmito Filho.
Nos bastidores, o grupo já teria fechado um acordo na região do Cariri, envolvendo lideranças do PP, PT e PDT. Segundo fontes ouvidas pelo jornal O Estado, o ex-governador Cid Gomes, o deputado José Guimarães e lideranças do PP teriam se reunido no último final de semana e definiram marchar juntos na região denominada Crajubar – Crato, Juazeiro do Norte e Barbalha. A ideia é definir conjuntamente os nomes que irão postular na eleição deste ano, inclusive o governador Camilo Santana apoiaria o acordo.

Fortaleza
Sérgio Aguiar, assim como já havia anunciado o ex-governador Cid Gomes, afirmou que as estratégias eleitorais em Fortaleza ficarão sob responsabilidade do prefeito Roberto Cláudio.
Recentemente, RC falou à imprensa que deve iniciar, agora, em junho, uma agenda partidária. A ideia é realizar cinco encontros temáticos e outros 25 com candidatos do PDT, que deve ocorrer por regiões. “ É neste período que vamos amadurecer um projeto e, assim, no prazo devido, realizaremos as convenções”, disse o prefeito na ocasião.
Fonte: O Estado

Caiu mais Um - CITADO NA LAVA-JATO, MINISTRO DO TURISMO PEDE DEMISSÃO

A Presidência da República informou nesta quinta-feira que o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, pediu demissão do cargo. Alvo da Operação Lava Jato, ele foi citado na delação do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado como beneficiário do esquema de corrupção da Petrobras. É o terceiro ministro do Temer a cair em pouco mais de um mês.
Alves tomou a atitude que era esperada por Temer por parte dos ministros investigados, segundo auxiliares do presidente interino. Antes dele, também deixaram o ministério Romero Jucá (Planejamento) e Fabiano Silveira (Transparência) após serem gravados em conversas sobre a Operação Lava Jato por Sérgio Machado.
Lava Jato - Em dezembro, o apartamento de Henrique Eduardo Alves em Natal (RN) havia sido alvo de buscas pela Polícia Federal, por ordem do Supremo Tribunal Federal. À época, ele também ocupava o cargo de ministro do Turismo, no governo de Dilma Rousseff, e se disse surpreso com a determinação do Supremo.
Agora, com a demissão, Alves vai perder o foro privilegiado e seu processo pode ser enviado à 13º Vara Federal de Curitiba (PR), onde o juiz Sérgio Moro centraliza as ações da Lava Jato. Ex-presidente da Câmara dos Deputados, ele perdeu as eleições para o governo do Rio Grande do Norte em 2014 e ficou sem mandato.
Nesta quarta-feira, após ter sido citado na delação de Sérgio Machado, Alves usou ser perfil no Twitter para dizer que "estava à disposição da Justiça, confiante que ilações envolvendo seu nome serão prontamente esclarecidas". 
Com informações de Veja

quarta-feira, junho 15, 2016

APÓS VENCER O NÁUTICO, VASCO RECEBE PAYSANDU NO SÁBADO

Willian, tem sido um dos destaques do Vasco
Após perder a invencibilidade no último sábado, 11, a invencibilidade ao ser derrotado pelo Atlético-GO por  2 x 1, o Vasco voltou ontem a sua rotina normal de vitórias no Brasileiro da Série B. O Cruzmaltino venceu ontem o Náutico por 3 x 2 em São Januário com gols de Andrezinho, Rodrigo e Éder Luiz, e já volta a campo neste sábado quando receberá o paraense Paysandu às 16h30 (de Brasília).
o Vasco permanece na liderança, agora com dois pontos a mais do que o segundo colocado, Atlético-GO.

EQUILÍBRIO 
Chegou e sentou na janela. William não precisou de muito tempo para justificar o discurso do Vasco no início do ano: manter a base que quase evitou o rebaixamento e fazer contratações pontuais e certeiras. Depois de Marcelo Mattos (contratado em janeiro) assumir a função de cão de guarda do meio-campo rapidamente, o primeiro reforço para Série B também arrumou logo um espaço no time de Jorginho e destronou o quase intocável Julio dos Santos. Em apenas seis partidas, não seria exagero dizer que a revelação do Madureira no Carioca tornou a equipe mais consistente e, principalmente, equilibrada.   
Chamado pelos mais empolgados em redes sociais de William Matuidi e Willyaya Touré, a aposta de 24 anos apresentou características defensivas e ofensivas melhores que o paraguaio para conquistar a confiança de Jorginho - superou também a concorrência de Diguinho. Noves anos mais jovem que Julio dos Santos, ele aumentou a pegada no meio-campo e ainda tem força física de sobra para chegar ao ataque. As estatísticas provam isso. 

Vídeo - CONHEÇA AS PROPOSTAS DE JOSÉ AUGUSTO TORRES, PRÉ-CANDIDATO A PREFEITO DE PIRES FERREIRA

O pré-candidato a prefeito de Pires Ferreira, o jovem José Augusto Torres, concedeu nessa semana entrevista aos blogs: Ipu Notícias, Aconteceu Ipu e Blog do Kléber Teixeira (KT).
Filiado ao PSDB, o filho do ex-prefeito Francisco das Chagas Torres Júnior (Torrim) e da ex-prefeita de Ipu, Maria do Socorro Pereira Torres (Corrinha), respondeu as perguntas sobre o seu projeto e propostas de governo. José Augusto acredita que um governo que "cuida das pessoas" é uma das ferramentas de administrar bem um município.
Acompanhe agora entrevista completa, desde já agradecer a família "Pica Pau", pela confiança depositada ao nosso trabalho de divulgação e marketing no Portal de Notícias Aconteceu Ipu.
Fonte: Aconteceu Ipu


Acordão do TCM - SERGIO RUFINO É MULTADO E PODE FICAR INELEGÍVEL

Conforme o relatório do acórdão nº 3163/2016, do PROCESSO N.° 2013.IPU.TCE.946/15, publicado em 07 de junho de 2016, reportam-se os autos sobre a Tomada de Contas Especial da Prefeitura Municipal de Ipu, relativa ao exercício financeiro de 2013, de responsabilidade do Sr. Carlos Sérgio Rufino Moreira, oriunda da Denúncia protocolada sob n° 14.335/14 (fls. 02/1.661), pelo João Rafael Bezerra Felizola Torres, em face de supostas irregularidades na contração de pessoal, no âmbito do poder Executivo.
O voto do relator, o Conselheiro Manoel Beserra Veras, foi pela procedência da Tomada de Contas Especial, com aplicação de multa ao Responsável, no valor de R$ 5.320,50 (cinco mil, trezentos e vinte reais e cinquenta centavos), com base no Art. 56, inciso II da Lei n.° 12.160/93 c/c o Art. 154, inciso II do RITCM, bem como, em tese, nota de Improbidade Administrativa com fulcro no art. 11, caput, da Lei n.° 8.429/92, sendo a presente TCE considerada IRREGULAR, determinando que:
a) Seja concedido o prazo de 30 (trinta) dias para o recolhimento da multa indicada na letra "a", e/ou interposição de Recurso de Reconsideração. Caso contrário, sejam os autos encaminhados ao Ministério Público para adoção de medidas cabíveis.
Cabe salientar que a decisão do referido acórdão não é definitiva, tendo em vista que o responsável pela Prefeitura Municipal de Ipu, o senhor Carlos Sérgio Rufino Moreira poderá interpor recurso da decisão dentro do prazo estabelecido pelo Tribunal de Contas. Do contrário poderá ter complicações em seu projeto de reeleição na sucessão 2016, caso seja desejo seu em concorrer, por conta, em tese, da nota de improbidade administrativa contida no bojo do acórdão.
com informações de  Rarisson Ramon - EXPRESSOIPU

CONSELHO DE ÉTICA APROVA E CASSAÇÃO DE CUNHA VAI A PLENÁRIO

O parecer do relator Marcos Rogério, que recomenda a cassação do presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB), foi aprovado nesta terça-feira (14) por 11 votos a 9.
O processo tramitou na Casa por oito meses, o mais longo da história, e foi encerrado, no Conselho de Ética, com a traição do deputado federal Wladimir Costa (SD).
O placar no Conselho estava 10 a 9 a favor de Cunha antes da votação começar. O voto da deputada Tia Eron (PRB) apontaria o resultado, caso votasse contra o peemedebista, o empate seria resolvido pelo presidente do Conselho, José Carlos Araújo (PR), pela cassação.
Ao ouvir Tia Eron votar "sim", aprovando o relatório, Wladimir Costa, defensor de Cunha, mudou o voto e ficou contra o aliado. Votar "não" mesmo sabendo que o peemedebista seria derrotado era um preço alto demais para a coragem do parlamentar pagar.
Agora, o processo será votado no plenário da Casa, sendo necessários 257 votos para a cassação de Eduardo Cunha.

Recursos e ameaças
Cunha ainda poderá recorrer à Comissão de de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, que verificará se houve vícios regimentais no processo. Percebendo o cerco se fechando ao seu redor, o presidente afastado usa de todos os recursos possíveis para se manter no cargo e escapar das mãos do juiz federal Sérgio Moro.
A esposa do peemedebista, Cláudia Cordeiro Cruz, já é alvo de inquérito na Lava Jato. Para se salvar, Cunha ameaça: se cair, levo 150 deputados, um senador e um ministro próximo ao presidente interino Michel Temer (PMDB).

Em risco
O Ministério Público Federal já pediu a cassação dos direitos políticos de Eduardo Cunha por dez anos e devolução de mais de R$ 270 milhões aos cofres públicos.
Para encerrar o dia de Cunha, o juiz federal Augusto César Pansini Gonçalves, da 6ª Vara Federal de Curitiba, decidiu congelar todos os ativos financeiros em nome do deputado afastado; da mulher dele, Cláudia Cordeiro Cruz, e de duas empresas ligadas ao casal: Fé em Jesus e C3 Produções Artísticas e Jornalísticas.
Maurício Moreira - Via Cearanews7